Mesmo sendo de um dos setores mais afetados pela crise do coronavírus, a Riachuelo entendeu que poderia ajudar seus funcionários e mudou o foco de sua produção: saem as peças de roupas, entram as máscaras de proteção individual, que segundo o CEO da empresa, Oswaldo Nunes, estão ajudando pequenos produtores do sertão do Rio Grande do Norte a manter sua renda e fazer girar a economia da região.
“Os itens saem de nossas oficinas de corte para serem levados a pequenas oficinas que integram nossa cadeia produtiva, e que por meio destas máscaras estão conseguindo manter o sustento de suas famílias. Isso vem de encontro a nosso propósito de transformar vidas através da moda.”

A rede de pequenas oficinas faz parte do projeto PróSertão, que atua na região do Seridó (RN) e que até agora já doou mais de 957 mil máscaras de proteção, 28 mil jalecos hospitalares, mais de 12 mil aventais para pacientes, 9 mil propés, 15 mil toucas e 17.500 toalhas e mantas.
“A Riachuelo está ciente do seu papel na sociedade e se movimentou para ajudar a população no momento da pandemia. Fomos a primeira empresa do setor a doar peças de EPI para profissionais da linha de frente.”

fonte: Da CNN, em São Paulo 21 de Maio de 2020 às 23:20

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *